Demonstração de Resultados aplicada à Contabilidade

Demonstração de Resultados aplicada à Contabilidade

A crn-contabilidade através da sua experiência na demonstração de resultados aplicada à contabilidade aos seus clientes decidiu abordar o tema, de forma a explicar a importância do mesmo.

 

Na demonstração de resultados o papel da contabilidade é mais ligado à parte técnica. Ou seja, é através dos balanços e balancetes efetuados na contabilidade que fazemos uma análise de resultados

  • Que por sua vez através de gráficos conseguimos transmitir ao cliente o estado atual e até prever o futuro da empresa a nível financeiro.
  • O profissional de contabilidade tem um papel fundamental para perceber o percurso financeiro da empresa, ajudando o analista a entender o seu histórico e futuro.
  • A contabilidade é a base financeira de qualquer empresa sem ela é quase impossível fazer se uma boa gestão do negócio.

 

O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações) instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício.

Tem como objetivo principal apresentar de forma vertical resumida o resultado apurado em relação ao conjunto de operações realizadas num determinado período, normalmente, de doze meses. 

De acordo com a legislação mencionada, as empresas deverão na DR do Exercício discriminar: 

  • a receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;
  • a receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto;
  • as despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas, e outras despesas operacionais;
  •  o lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas;
  •  o resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto;
  • as participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias, mesmo na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados, que não se caracterizem como despesa;
  • o lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.

 

Na análise do lucro, temos de ter presente os princípios contabilísticos subjacentes à contabilização de rendimentos e gastos. O que constitui um rendimento ou um gasto e em que momento se deve registar como tal? Não entrando em pormenores quanto a princípios contabilísticos, que são aprofundados noutro curso, vejamos os mais importantes:

         

  • Regime de acréscimo;
  • Equivalência entre rendimentos e gastos;
  • Continuidade das operações;
  • Comparabilidade;

 

Tal como o Balanço, a DR segue um formato padrão que as empresas têm de seguir e que tem a seguinte estrutura:

Como fazer a DR Mensal do seu negócio 

Abordámos as rubricas e como fazer a DR mensal do seu negócio

Existem um conjunto de rubricas que devem contar na sua DR.

  • Serviços prestados e vendas de produtos;
  • Subsídios destinados à exploração;
  • Variação nos registos da produção;
  • Trabalhos para a própria empresa;
  • Fornecimentos e serviços externos;
  • Gastos com o pessoal;
  • Imparidade de inventários;
  • Imparidade de dívidas a receber;
  • Provisões;
  • Imparidade de investimentos não depreciáveis ou amortizáveis;
  • Aumentos/reduções de justo valor;
  • Outros ganhos e rendimentos;
  • Outras perdas e gastos.

 

Após todos os valores inseridos nestas rubricas, apresenta-se um primeiro subtotal, que representa a EBITDA (Earnings before interest, taxes, depreciation and amortization), que mede o fluxo operacional de caixa a as suas margens. Depois, prossegue-se com o preenchimento das seguintes categorias:

  • Gastos/reversões de depreciação e amortização;
  • Imparidade de investimentos depreciáveis/amortizáveis.

 

Para efetuar uma nova apresentação do resultado operacional (antes dos gastos de financiamento e impostos) faz-se um novo subtotal, que representa a EBIT (Earnings Before Interest and Taxes), e segue-se o preenchimento das restantes rúbricas:

  • Juros e rendimentos similares obtidos;
  • Juros e gastos similares suportados;
  • Resultado antes dos impostos;
  • Impostos sobre o rendimento do período;
  • Resultado antes dos impostos;
  • Resultado líquido do período.